Meditação, ou Dhyana

Meditar é quando o corpo, a mente e a emoção se dirigem como potente holofote em direção ao Futuro, um futuro a escalar, a uma Meta maior. Precede a meditação o estado intenso de Aspiração, cultivado ao longo de muito tempo, acompanhado pela prática assídua da concentração (Dhârana).

Para chegar ao estado de meditação, o homem precisa largar para trás o passado, e com ele, todos os apegos, que são trava ao progresso interior, pelo menos temporariamente.

Há um estado de “pré-meditação” – como eu o chamo -, e que consiste em a Consciência penetrar horizontalmente as causas/conseqüências de um fato vivido no aqui-agora, sem que a mente tri-dimensional tivesse tempo para intrometer-se, produzindo sem esforço um perceber-comprender-sem-comentar profundo e silencioso a realidade do fato.

A Meditação é a porta de ingresso ao Samadhi. Nestes tempos pré-aquarianos, a Meditação se torna cada vez mais fácil, haja visto que o homem atual, apesar do aumento da onda de agitação que o rodeia, pode ter a mente lúcida, clara e desapegada.

O Desapego, que é a chave do real progresso interior, por sua vez, tem como conseqüência um fato inesperado: a meditação de olhos abertos que, por sua vez pode conduzir ao Samadhi de olhos abertos, tal como era vivido pelo Bem-aventurado Paramahamsa Ramakrishna, e pelo Senhor Krishnamurti, e por ainda outros, alguns que conhecemos pessoalmente.

Nestes dias de mudança de ciclo, não é mais necessário recolher-se, isolando-se para poder meditar. A consciência aplicada no silêncio mental permite meditar em qualquer lugar e ambiente, em meio da ação, e de olhos abertos.

Esse fato novo nos faz lembrar o homem que “reza” de olhos fechados, e ainda cobre o rosto com as mãos para se desligar melhor, fugindo do mundo externo que o rodeia, que o incomoda por lembrá-los dos seus pecados e tentações, ao cumprir com sua necessidade de fazer sua prece. Por outro lado, surgem ante nossa visão interior as imagens dos ioguis que, em estado de Samadhi, estão totalmente inconscientes da vida física, de maxilar caído, babando. O contraste com os estados cósmicos do Senhor Krishnamurti e de outros é muito grande. A tendência, que se projeta em direção ao futuro é abarcar, com a abertura da Consciência do EU, todos os planos da vida universal simultaneamente, criando um estado de consciência integral, sem rejeitar ou esquecer o mais denso e material, o corpo físico, incluindo-o simultaneamente aos demais planos, como ocorria habitualmente com Paramahansa Ramakrishna, que vivia seus enlevos cósmicos de olhos abertos e sorriso celestial, ao caminhar entre os seus, contemplando, embevecido, a Mãe.

Esta CONSCIÊNCIA INTEGRAL deverá instalar-se cada vez mais, daqui em diante, aos que estão penetrando na vida aquariana, por possuírem o Lalna Chakra acordado. Os Grandes Mestres e Gurus do passado viveram adiantados ao seu tempo por terem possuído – com certeza – o Lalna ativo.

 

Do livro - ANDROGONIA - O que o homem é.

Swami Sarvananda

 

Sarvas Ananda - 2009 - Todos os Direitos Reservados ©
contato@sarvasananda.com.br